Você está aqui: Página Inicial > Sobre a Biblioteca > Sobre a Biblioteca

Sobre a Biblioteca

A Biblioteca da Presidência da República foi fundada no governo do Presidente Wenceslau Brás (1914-1918), sendo composta inicialmente por setecentos e setenta e duas obras (772), em três mil seiscentos e noventa e cinco (3695) volumes. Por algum tempo o papel da Biblioteca concentrou-se basicamente em atender a demanda por informações legislativas e pesquisas jurídicas dos servidores da casa, o que motivou a equipe de bibliotecários da Presidência a promover sua primeira reorganização. Desse projeto, realizado a partir de 1951, no governo do então presidente Getúlio Vargas nasceu uma nova biblioteca, especializada nas áreas de legislação, direito administrativo, direito constitucional e ciência política. Dentre os novos serviços que passaram a ser oferecidos destacavam-se os de caráter histórico-informativo relativo aos presidentes e vice-presidentes do Brasil.

Em 1961, com a mudança da capital para o Distrito Federal, a Biblioteca da Presidência da República foi instalada no Palácio do Planalto e o seu acervo continuou a ser atualizado nas áreas inicialmente estabelecidas. A partir de 1979, o Serviço de Documentação, ao qual a Biblioteca estava subordinada, passou a fazer parte da estrutura e competência do Gabinete Civil, o que levou a Biblioteca a incorporar parte do acervo bibliográfico da Secretaria do Conselho de Segurança Nacional. Nesse mesmo ano, a Biblioteca foi transferida para o anexo I do Palácio do Planalto, onde se encontra até hoje.

Por volta da metade da década de 80 foram acrescentados aos assuntos principais do acervo da biblioteca as áreas de Economia e Administração, o que foi uma clara demonstração da evolução dos trabalhos realizados pelos servidores da Presidência da República, que buscavam se especializar cada vez mais nas áreas de atuação do governo federal. Ainda nesse período, para atender a crescente demanda por diversas áreas do conhecimento e também alcançar a excelência na prestação de serviços, a Biblioteca iniciou o trabalho de conversão e atualização retrospectiva de sua coleção, assim como a automação dos serviços, produtos e rotinas. Adequando-se a nova realidade das unidades de informação, a Biblioteca da Presidência da República passou por nova reforma, sendo reinaugurada em 29 de março de 2005. Em outubro de 2005, a Biblioteca da Presidência foi certificada pelo Conselho Regional de Biblioteconomia da 1ª região (CRB1).

A certificação representou o esforço da Biblioteca para alcançar sua orientação estratégica e visão de futuro. O certificado é fornecido apenas para as bibliotecas que seguem rigorosamente a Lei 4.084, de 02 de julho de 1962, que dispõe sobre a profissão de bibliotecário e regula o seu exercício e o Decreto 56.725, de 19 de agosto de 1965, que regulamenta a Lei 4.084. Em novembro de 2005, a Biblioteca considerando o Decreto 3.505, de 13/06/2002, que institui uma política de segurança da informação nos órgãos e entidades da Administração Pública Federal, certificou seus funcionários que interagem com o público, para que os mesmos recebessem a sua assinatura digital.

Com o lançamento do novo portal da Presidência da República, a Biblioteca iniciou uma nova fase, com mais ênfase em tecnologias da informação para o melhor atendimento dos seus usuários. Prova disso é a digitalização de todos os discursos presidenciais em OCR (Optical Character Recognition) - legado que pertence ao povo, no qual estão documentados as grandes diretrizes e pensamentos que marcaram a evolução da história do Brasil.